Esforço concentrado da Secretaria da Saúde amplia combate à febre amarela no Paraná

No trabalho de campo, equipes da Secretaria da Saúde, Ministério e municípios percorreram áreas rurais, matas e reservas ecológicas de sete municípios para buscar pessoas não vacinadas e macacos contaminados.

As ações de combate à febre amarela no Paraná estão recebendo um esforço concentrado. Nesta quinta-feira, a Secretaria de Estado da Saúde e o departamento de Vigilância de Doenças Transmissíveis do Ministério da Saúde concluíram a ação de campo. Equipes de técnicos do Ministério e da Secretaria fizeram reuniões e percorreram áreas rurais, matas e reservas ecológicas dos municípios de São José dos Pinhais, Castro, Ponta Grossa, Jaguariaíva, Tibagi, Piraí do Sul, e Carambeí em uma grande operação para buscar pessoas não vacinadas e macacos contaminados. Foram realizadas entrevistas em 37 locais com mais de 1.800 pessoas atingidas, com orientações e destacando a importância da vacina contra a doença. O secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, fez um reconhecimento do trabalho e destacou a atuação das equipes do Paraná, do Ministério e dos municípios. O boletim epidemiológico semanal divulgado nesta quinta-feira pela Secretaria da Saúde apresenta mais um caso da doença, de um paciente de Paranaguá, aumentando para 14 o número de casos confirmados, contra 13 na semana anterior. Seguem em investigação 85 ocorrências e 202 já foram descartadas. A superintendente de Atenção à Saúde da Secretaria, Maria Goretti Lopes destacou os esforços destinados para controlar a febre amarela. Os municípios com casos confirmados são Antonina, Morretes e Paranaguá, no Litoral, e Adrianópolis, Campina Grande do Sul, Curitiba, Piraquara e São José dos Pinhais, na região metropolitana da capital. Já em macacos com febre amarela, existem 27 casos sob investigação e 5 foram confirmados, em Antonina, Morretes, Paranaguá, São José do Pinhais e Castro.

Comentários