Produtores rurais aprendem sobre uso de energia solar

A energia solar vem despertando o interesse dos produtores rurais no Oeste do Estado. Por isso, técnicos do Emater participaram de um curso em Toledo.

O Instituto Emater vem recebendo muitas consultas por parte dos produtores rurais sobre informações relacionadas à energia solar. Os principais motivos do interesse são os constantes aumentos na tarifa de energia elétrica, e o barateamento nos custos de instalação dos sistemas fotovoltaicos.

Para levar esse conhecimento de forma eficiente aos agricultores, técnicos do Emater participaram em dezembro de um curso promovido pelo Parque Tecnológico Itaipu (PTI), em Toledo. Um trabalho que conta com o apoio do Programa Oeste em Desenvolvimento, e deve ter continuidade ao longo de 2019. Conforme o diretor-superintendente do PTI, Jorge Augusto Callado, a ação faz parte da agenda do Parque visando o desenvolvimento territorial sustentável: “É mais uma demonstração da parceria do PTI com a sociedade e com os demais órgãos de governo para a promoção do desenvolvimento territorial sustentável da região Oeste. Estamos constantemente pesquisando energias renováveis, e a energia solar é um dos principais pontos da nossa agenda”.

Em dois dias, eles puderam conhecer detalhes sobre os equipamentos, o funcionamento dos sistemas fotovoltaicos, assim como aspectos legislatórios e de mercado. O PTI ainda forneceu uma ferramenta, de fácil utilização, que foi desenvolvida para auxiliar extensionistas e produtores no dimensionamento dos sistemas.

De acordo com o Atlas de Energia Solar do Estado do Paraná, o potencial desse tipo de energia por aqui é 43% superior, por exemplo, ao da Alemanha, um dos países que mais investe nessa fonte renovável, no mundo. A publicação apontou que o município de Prado Ferreira, no Norte, lidera este ranking. Já Matinhos, no Litoral, tem o menor índice. Qualquer cidadão pode consultar a base de dados gratuitamente no site www.atlassolarparana.com.

Comentários