Municípios paranaenses preparam plano de contingência de barragens

Iniciativa é pioneira no Brasil. Defesa Civil do Paraná elaborou um modelo de plano de contingência municipal para orientar gestores das cidades em áreas de impacto direto em caso de acidentes de barragens.

A Coordenadoria de Proteção e Defesa Civil do Paraná elaborou um modelo de Plano de Contingência Municipal de Barragens para orientar os gestores das cidades incluídas em áreas de impacto direto em caso de acidentes de barragens. A iniciativa não está prevista em legislação é pioneira no Brasil. No Paraná, 65 municípios abrigam barragens para uso de geração de energia. Segundo o coordenador de Defesa Civil do Paraná, coronel Ricardo Silva, existe a necessidade de ações preventivas por todas as instâncias. O Paraná já havia se destacado como primeiro estado a ter todos os municípios dotados com Plano de Contingência, abrangendo todo e qualquer desastre natural. O Plano de Contingência Municipal de Barragens, especificamente, reforça a resposta a desastres exclusivamente para ocorrências com estas estruturas. O coronel Ricardo Silva explica que desde o rompimento da barragem de Fundão, em Minas Gerais, há quase 4 anos, as discussões preventivas para eventos deste tipo ganharam mais destaque. Segundo a engenheira de manutenção civil do setor de barragens da Copel, Isabela Cristina da Silva, a empresa trabalhou em conjunto com a Defesa Civil estadual e os municípios para que os documentos fossem de conhecimento local. A Copel já produziu o Plano de Segurança de Barragem e o Plano de Ação Emergencial, exigidos pela Aneel, a Agência Nacional de Energia Elétrica. Os documentos referentes a vinte barragens operadas pela Companhia foram finalizados no ano passado.

Comentários