Paraná vai fazer a gestão da obra da segunda ponte entre Brasil e Paraguai

Acordo foi fechado em Brasília, durante encontro do governador Ratinho Junior com os presidentes do Brasil, Jair Bolsonaro, e do Paraguai, Mario Abdo Benítez. Previsão do projeto ser bancado pela Itaipu, com prazo de construção de três anos.

O governador Carlos Massa Ratinho Junior anunciou nesta terça-feira que o Paraná vai fazer a gestão das obras de construção da segunda ponte entre Brasil e Paraguai, que será construída em Foz do Iguaçu. O anúncio foi feito após encontro com os presidentes Jair Bolsonaro e Mario Abdo Benítez, em Brasília. De acordo com o governador Ratinho Junior, a obra vai desafogar o tráfego pesado que hoje utiliza a Ponte da Amizade para cruzar a fronteira. Ele destacou que a gestão está sendo delegada ao Paraná pelo Governo Federal. O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, e o secretário estadual de Infraestrutura e Logística, Sandro Alex, também participaram da reunião em Brasília. De acordo com o secretário, a decisão reforça a parceria entre o Paraná e o Governo Federal. A segunda ponte deve ser construída sobre o rio Paraná, na região do bairro Porto Meira, em Foz do Iguaçu. No lado paraguaio, a obra vai alcançar o município de Puerto Franco, vizinho a Cidade de Leste, onde está a Ponte da Amizade. Depois de finalizada a obra, todo o transporte de cargas será feito pela nova passagem. A Ponte da Amizade, construída em 1965, vai atender somente turistas e passageiros. Além disso, a segunda ponte vai permitir a ligação entre a Rodovia das Cataratas e a BR-277 pela Perimetral Leste, por onde também vão trafegar os veículos pesados que circulam entre Brasil e Argentina. Além de Foz, está prevista outra ponte ligando o município de Porto Murtinho, no Mato Grosso do Sul, a Carmelo Peralta, no Paraguai, sobre o rio Paraguai. A previsão é de que as obras durem cerca de três anos. Existe uma negociação entre os dois governos para que as obras sejam custeadas pela Itaipu Binacional.

Comentários