Com parque moderno, Paraná se destaca na produção industrial

Estado tem forte presença nos setores automobilístico, alimentício, agroindustrial, metalomecânico, florestal, madeireiro, moveleiro e celulose. O Estado liderou o crescimento na produção nos dois primeiros meses do ano.

No primeiro bimestre deste ano a produção industrial paranaense liderou o crescimento no Brasil, com expansão de 10,3% em comparação com o mesmo período do ano passado. Com uma indústria moderna e diversificada, o Paraná ocupa lugar de destaque neste setor e segue atraindo empresas. Neste ano, a Klabin e o Grupo J. Macêdo anunciaram novas plantas, com investimento total de 9 bilhões e 600 milhões de reais. Além de um programa de incentivos atualizado, posição geográfica e de mão de obra favoráveis, o Estado mantém as contas públicas equilibradas. O governador Ratinho Junior reafirma que o objetivo é trabalhar para ampliar as condições de desenvolvimento do setor produtivo. O professor de economia da FAE Gilmar Lourenço, ex-presidente do Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social, Ipardes, acredita que, apesar de todos os problemas do Brasil, o Paraná construiu condições produtivas e fiscais para sair na frente quando a economia brasileira voltar a crescer. Para Gilmar, o Paraná tem um parque industrial mais avançado que a média dos demais estados brasileiros. A chegada das montadoras trouxe grandes fornecedores para o complexo metalomecânico, agregando novas tecnologias ao segmento. No começo deste ano, por exemplo, a produção de máquinas e equipamentos cresceu 19,5%. O setor agroindustrial do Paraná é o maior e mais competitivo do Brasil. De acordo com o economista, cooperativas se tornaram grandes empresas, fizeram fortes investimentos nos últimos anos, e o setor do agronegócio se modernizou ainda mais com a chegada e ampliação do parque madeireiro e da indústria do papel. Dois dos principais setores que sustentam a produção industrial, o automobilístico e o alimentício, apresentam números invejáveis no primeiro bimestre. O setor automobilístico cresceu 28,8% nos primeiros meses deste ano e o alimentício, 11,9%, conforme dados da Federação das Indústrias do Estado do Paraná. O Estado também vive um momento de otimismo no setor de empregos, como revelam os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados divulgados na última quarta-feira. Apesar de ligeira retração em março, o Paraná segue entre os cinco estados que mais criaram empregos formais no Brasil no primeiro trimestre deste ano. No total, o Estado gerou 27 mil e 114 novas vagas no ano, o que representa variação positiva de 1,04%. O Paraná está em quarto lugar entre as economias estaduais, quase sempre empatando com o Rio Grande do Sul.

Comentários